O corpo grita o que a mente cala

Hoje existem inúmeras ferramentas de conversação e tecnologias de interação digital entre as pessoas. No entanto, falta comunicação.  A inovação tecnológica tem estabelecido novas normas e formas de nos relacionarmos. Prevalece a relação virtual à conversa cara a cara. Vivemos em um ritmo acelerado. “Não há tempo a perder”.

E em meio a tantas possibilidades, tantos aplicativos que possibilitam acompanhar diversos acontecimentos mundiais, do sofá da sala, perdemos a conexão com nós mesmos. As preocupações do dia a dia, o desempenho no trabalho, as exigências em exercer os diversos papéis na sociedade, deslocam a nossa atenção para o que acontece fora de nós. Existe uma grande quantidade de conteúdo e informação disponível sobre o cuidado corporal, mas continuamos sem escutar o corpo até o momento em que surge uma doença.

Somatização

O corpo se expressa através da dor ou de sintomas não apenas por causas físicas. Algumas pessoas tem dificuldade em externalizar os sentimentos, o que as impede de expressar as emoções e os e pensamentos, e assim somatizam o que calam.

Basta passar por uma situação muito difícil, estressante ou problemática que o corpo fica diferente: a cabeça dói, o resfriado aparece, a digestão se complica, a respiração fica difícil ou a pele se enche de alergias. Não se trata de apenas coincidência, mas um processo chamado pela medicina de somatização, ou seja, a transferência para o corpo do que deveria ser vivido e suportado apenas na mente.

Segundo os profissionais que trabalham com a medicina psicossomática, todas as pessoas acabam provocando mudanças no corpo ao enfrentar determinadas situações emocionais, principalmente as que produzem estresse e ansiedade. O que muda é a intensidade e a frequência com que isso acontece.

A doença e a dor são formas do corpo chamar atenção à questões emocionais não resolvidas.  Palpitações, gastrite e dores de cabeça estão entre os sintomas mais comuns, mas a somatização pode deixar o organismo com menos defesas para doenças sérias, como câncer, além de prejudicar a recuperação de uma cirurgia, por exemplo. O estresse e ansiedade são os principais fatores que acabam por influenciar no aparecimento de uma doença física, porque eles alteram o funcionamento de vários sistemas do nosso organismo. Por exemplo, os transtornos gástricos estão relacionados com a raiva, assim como as erupções de acne costumam aparecer em pessoas que têm dificuldades para se relacionar com o outro. O aumento de peso, na maioria dos casos, está relacionado a ansiedade, e por aí vai.

O que vai mal na mente frequentemente se manifesta no corpo, seja de maneira direta ou indireta.

Procure se escutar

O corpo fala. Procure escutá-lo. Nada acontece por acaso, tudo tem um motivo de ser. Analisar os acontecimentos que precedem o sintoma podem ajudar a clarear a mente. Aproveite a oportunidade para olhar para suas sombras nesses momentos de dor, ou quando outro sintoma se manifestar. É uma oportunidade de se conhecer e melhorar o relacionamento consigo mesmo.

Não estou dizendo que toda doença provém de questões emocionais, mas manter bons hábitos, ajudam a fortalecer a imunidade, resistência corporal e o equilíbrio do ser como um todo.

Pratique atividades físicas, consuma alimentos mais frescos e naturais, beba bastante água, respire fundo, estabeleça como prioridade o seu equilíbrio mental e físico, porque do resto, a gente dá conta.

Comentários